© COLECTIVO84

Colectivo84 é uma estrutura subsidiada continuamente pelo Ministério da Cultura Direção Geral das Artes.

  • White Facebook Icon
  • White Vimeo Icon
  • White Instagram Icon

NO(S) REVOLUTION(S)

2015 – 2016
MICKAEL DE OLIVEIRA E ULRIKE SYHA

Aqui e agora, quatro actores com três nacionalidades diferentes (alemã, francesa e portuguesa) falam sobre as suas recordações revolucionárias e a possibilidade de acontecer, hoje, uma revolução – e como poderia acontecer? Quais seriam as suas palavras de ordem ? Assim, esta pequena comunidade percorre o imaginário das revoluções passadas. Os conceitos políticos, ligados à historia nacional de cada actor, tornam-se aos poucos «intraduzíveis» e os processos de tradução matéria para palco.

 

A «nossa» revolução imaginária constrói-se a partir de factos anedóticos, provenientes de diversos tempos e geografias. Aos poucos, a ficção contamina o real: no palco, os actores pretendem elaborar, talvez por encomenda, um documento que sintetize um novo ideário revolucionário, enquanto que fora parece reinar uma revolta perturbadora, mesmo se ninguém parece entender quem são os insurrectos, pois a informação que recebem permanece confusa.

Várias perguntas são levantadas por parte de quem «joga» (os actores) e por parte de quem vê o «jogo» (os espectadores) : a violência e o terror são inevitáveis ? A revolução torna-se forçadamente uma decepção? Qual é a herança das revoluções ? E o seu folclore, o seu kitsch? Tal como interroga Sophie Wahnich, porque é que, desde 1989, pensamos que a ideia de utopia e de desejo de uma vida melhor levam forçosamente ao totalitarismo? Como criar hoje a irreversibilidade?

Textos: Mickael de Oliveira e Ulrike Syha

Encenação: Anne Monfort

Concepção e dramaturgia: Anne Monfort, Mickael de Oliveira e Ulrike Syha

Interpretação: Claude Guiyonnet, Anna Schmidt, Anne Sée e Sara Vaz

Desenho de luz e direcção técnica: Cécile Robin

Desenho de som: Emmanuel Richier

Cenografia e figurinos: Clémence Kazémi

Assistência de cenografia: Benjamin Sillon

Assistência de encenação: Alexia Krioucoff

Apoio historiográfico: Maud Chirio

Administração, produção e circulação: Juliette Medelli (Copilote)

Produção alemã: Katja Kettner e Tine Elbel (Kunststoff)

Produção portuguesa: Maria Manuel e Maria João Santos

Produção: Colectivo84 e Cie Day-for-Night

Co-produção: Le Granit – Scène nationale de Belfort / CDN – Besançon Franche-Comté / Théâtre Paul Eluard de Choisy-le-Roi / DSN – Scène nationale de Dieppe / Théâtre Jean Lurçat – Scène nationale d’Aubusson / Théâtre de Thouars – Scène conventionnée.

Apoio: Goethe Institut de Paris, de l’Institut Français du Portugal, de l’Institut Français no âmbito do programa Théâtre Export, de 31 Juin Films, du Théâtre Paris-Villette, du Fonds Transfabrik – Fonds franco-allemand pour le spectacle vivant, du Fonds SACD Théâtre. E o apoio à criação do Centre National du Théâtre. 

Projecto financiado pelo Ministério da Cultura - Direcção Geral das Artes.

APRESENTAÇÕES

TEATRO ACADÉMICO DE GIL VICENTE (COIMBRA, PT)

19 NOVEMBRO 2015

LE GRANIT, SCÈNE NATIONALE DE BELFORT (FR)

5 – 8 JANEIRO 2016

LE CARREAU, SCÈNE NATIONALE DE FORBACH (FR)

14 JANEIRO 2016

BALLHAUS OST BERLIN (BERLIM, AL)

19 – 20 JANEIRO 2016

LICHTHOF (HAMBOURG, AL)

22 – 23 JANEIRO 2016

LE COLOMBIER (BAGNOLET, FR)

27 – 31 JANEIRO 2016

THÉÂTRE JEAN LURÇAT, SCÈNE NATIONALE D’AUBUSSON (FR)

4 FEVEREIRO 2016

DSN, SCÈNE NATIONALE DE DIEPPE (FR)

3 MARÇO 2016

THÉÂTRE DE THOUARS, SCÈNE CONVENTIONNÉE (FR)

8 MARÇO 2016

THÉÂTRE PAUL ELUARD, SCÈNE CONVENTIONNÉE DE CHOISY-LE-ROI (FR)

15 MARÇO 2016

LE NOUVEAU RELAX, SCÈNE CONVENTIONNÉE DE CHAUMONT (FR)

18 MARÇO 2016

TEASER